25 de abril de 2012

Baseado em fatos reais

O mais popular grupo vocal da música gospel acaba de lançar seu novo e último álbum: Voices Para Sempre. O Voices surgiu nos anos 90, numa época em que a música gospel era uma vertente segmentada apenas a poucos evangélicos. Durante muito tempo, as meninas do grupo lançaram vários álbuns de sucesso e ditaram tendência na maneira de interpretar canções religiosas aqui no Brasil. Isso antes do boom do louvor e adoração nos anos 2000, mas isso é outra história.

Novo clipe do Voices teve cenas gravadas no Cemitério do Caju | Fotos: Divulgação
A faixa Aguenta firme deste último projeto ganhou um registro audiovisual dirigido por Marina de Oliveira e Dayane Andrade. A canção é de autoria de Ludmila Ferber e a versão final da formação do Voices conta com a presença de Marina de Oliveira, Fernanda Brum, Eyshila, Lilian Azevedo e Liz Lanne. O roteiro do projeto baseou-se nas histórias de três componentes do grupo e também na vida de todas as pessoas, na inspiração do tema universal de vencer obstáculos, desafios e no desfecho da superação. Uma introdução mórbida por conta da locação – o Cemitério do Caju, localizado em São Cristóvão (zona norte do Rio de Janeiro), e suas lápides no formato de torres e uma melodia a princípio com um arranjo tão sombrio quanto às imagens. Num breve momento, temos a apresentação das três histórias que serão retratadas. Para isso, as cantoras se transformam em atrizes e interpretam elas mesmas em situações difíceis de suas vidas. Situações, que por sinal, já são conhecidas pelos que acompanham os ministérios das tais. De maneira simples e direta, com um explícito apelo emocional, as imagens mostram o abatimento das personagens no auge das tribulações aqui apresentadas.

As tomadas são simples e o clipe não possui grandes recursos técnicos. De início, temos a história dos recorrentes abortos sofridos por Fernanda Brum ao longo de sua vida. A personagem encontra-se numa sala chorando suas perdas e sendo consolada por suas amigas. Closes em cenas com a pretensão de expressar fortes emoções sempre foi um mote certeiro do cinema e aqui também é usado. Em meio às sequências individuais do roteiro, as meninas do Voices aparecem em pé dentro de um cemitério vazio cantando o refrão da canção. O grupo vocal, usando sua maior arma – a voz – indica a possibilidade de se haver força para lutar ainda que tudo pareça ter terminado. A morte sempre foi um ícone de ponto final, das circunstâncias em que não há mais saída. Ironicamente a cena final força o paradoxo dessa definição.


A segunda narração fala sobre o problema de saúde enfrentado por Eyshila que passou por uma cirurgia nas cordas vocais e recebeu um laudo de que não poderia mais cantar: em seguida ela gravou o projeto Nada pode calar um adorador. As meninas não são atrizes e todos sabem disso, logo é desnecessário frisar aqui suas performances na interpretação dramática. Contudo, a música com as típicas letras contendo uma mensagem de auto-ajuda de Ludmila Ferber, emociona os mais sensíveis. Aqui, o principal elemento de composição é a característica biográfica do projeto. A ideia de falar sobre superação com histórias reais tornou-se a iniciativa mais eficiente do que atuações fictícias. Por fim, na dramatização do realismo ali proposto, temos o momento drástico vivido por Marina de Oliveira em 2010 que perdeu em um único acidente o marido Sérgio Menezes e o irmão Benoni de Oliveira. Uma das cenas mais emocionantes é a que Marina caminha pela estrada do cemitério e suas amigas do Voices chegam, uma a uma, para consolá-la. Por fim, nessa sequência, Marina coloca a aliança do seu marido em sua mão, junto com sua aliança. Mais que intérpretes, são um time!


O clipe é uma produção simples e se enquadra nos padrões estéticos do audiovisual produzido pela MK Music. Uma obra feita para os admiradores do Voices se deliciarem e se emocionarem com as cenas. Um ciclo se fecha com o fim do grupo e a sensação de saudosismo é certeira ao assistir o filme. Destaque para a iluminação e para a compatibilidade que as componentes do grupo possuem em cena. A mensagem de fé, força de vontade e amizade são passadas aqui com clareza e com o toque musical que só o Voices tem. Elas vão deixar saudade!

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, critique, elogie!
Sua opinião é importante para nós
Shalom Adonai



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...