27 de abril de 2011

"Eu quero fazer o melhor que tenho"


Considerada a grande voz da música pentecostal, Shirley Carvalhaes vive um novo tempo em sua carreira. Recém-contratada pela Sony Music Gospel, ela chega para reforçar o time já formado por Cassiane, Damares e Elaine de Jesus e esteve na sede da gravadora na última segunda-feira (25) onde conversou com o Gospel no Divã e relembrou o início de seu ministério e os sucessos que até hoje são lembrados pelo povo de Deus. Apesar de estar começando uma nova etapa, a cantora é bastante enfática ao dizer: “Eu não saio do estilo que o Senhor quem me deu”.

1. Todos conhecem a Shirley Carvalhaes, uma das cantoras pentecostais mais respeitadas no meio gospel, mas quem era a Shirley Carvalhaes de Camargo antes da fama?
Fui nascida e criada em berço evangélico e sempre fui chegada a louvar ao Senhor desde criança em todo culto que participava. Eu botava meu violão debaixo do braço e ia para as igrejas cantar. Quando casei, apareceu um pastor chamado Samuel Barbosa que fazia dupla com a esposa, mas ela passou mal e ele me fez uma proposta para gravar no lugar deles. Eu aceitei e até hoje não parei de gravar.

2. Você começou sua carreira ainda nos anos 70. Como era ser cantora gospel naquela época e que balanço faz de sua carreira?
Olha só... Naquela época era mais difícil do que hoje em se tratando de divulgação do meio gospel porque não tinha rádio nem televisão. Aqui no Rio de Janeiro tinha a Rádio Copacabana que tinha alguns cantores como o Josias Menezes e lembro que eu corria para ver os outros cantores quando era adolescente, mas hoje as coisas estão mais fáceis.
3. Como foi seu período na Gravadora Rocha Eterna?
Foi um período muito bom para mim porque foi a Rocha Eterna que me lançou como cantora. Na realidade, fui a dona da Rocha Eterna também e assim ficou mais fácil trabalhar em cima do nome Shirley Carvalhaes.
4. A música pentecostal hoje em dia traz elementos que muitas vezes fogem do contexto bíblico, mas vemos que você sempre se preocupa em gravar canções que não seguem modismos e heresias. Essa sempre é sua preocupação na hora de definir o repertório?
Eu me preocupo bastante porque realmente tem muita heresia, tem muito negócio de ‘fogo no pé’, ‘é o anjo...’. Não é o anjo, mas é o Senhor Jesus Cristo quem faz tudo e não aceito que coloquem o anjo na frente e me preocupo muito com a letra dos louvores porque não posso sair de dentro do contexto da Bíblia. Então, acho que é por isso que consegui me manter nesses 34 anos e não saio do estilo que o Senhor me deu. Eu prefiro ficar assim e sempre deu certo.
5. Com mais de 30 álbuns gravados, como faz para se reinventar e sempre trazer algo novo para o público?
Mudaram tudo e eu não posso ficar lá para trás nos anos 70 e 80. Tenho que estar sempre atualizada, ouvindo o que o povo está gostando que é muita adoração e música em estilo romântico. Então, eu tenho procurado dar o melhor para o meu povo, para as pessoas que gostam de me ouvir. Eu procuro dar o melhor de dentro de mim para Deus e para esse povo que é maravilhoso.
6. Faraó ou Deus é um dos clássicos de sua carreira. O que essa canção representa em seu ministério?
Sucesso... Até hoje eu canto esse louvor. Aonde eu chego tem que cantar Faraó ou Deus. Acho que essa música já tem uns 20 anos, mas tenho que cantar em todos os cultos.

7. Por que a passagem de Israel pelo Mar Vermelho e a crucificação são temas frequentes em seus álbuns?
Porque é a realidade, é contexto da Bíblia. Faraó ou Deus é o milagre que Deus fez quando o povo de Israel estava ali cativo e precisava sair da mão de Faraó e esse milagre acontece com a gente até hoje porque, às vezes, a gente pensa que o milagre de Deus nunca vai acontecer. A gente vive todo dia à espera de um milagre e esse milagre eu vivo todos os dias na minha vida. Canto muito sobre a crucificação porque Jesus morreu na cruz para nos salvar e isso aí a gente não pode deixar de trazer em nosso coração e em nossa mente.
8. E o que o público pode esperar do CD À espera de um milagre?
Eu procuro dar o melhor de mim apesar de tantos problemas e lutas. Se eu pudesse daria tudo o que tenho, mas faço minha parte e o Senhor faz a dEle na minha vida. Eu espero que esse CD abençoe pessoas que estão vivendo momentos muito difíceis e que estão à beira do fundo do poço. Eu quero declarar, em nome de Jesus, que Deus realmente vai fazer o milagre em sua vida através da canção À espera de um milagre.
9. O que Deus reservou para você no Cenário de Vitória?
Às vezes a gente quer se colocar no palco, mas temos que nos despir deste palco em que a gente vive e deixar Deus agir na nossa vida. Eu espero que Jesus Cristo sempre venha ser o maior e a estrela na minha vida nesse cenário de vitória.
10. Como começou esse namoro com a Sony Music Gospel?
O Mauricio Soares (diretor executivo da Sony Music Gospel) já me conhece há muito tempo e sempre estava me contatando, mas chegou o momento na Sony Music que foi uma promessa de Deus e estou muito feliz porque ela está se cumprindo. A Sony Music está sendo um instrumento de Deus para minha vida. Todos os cantores gostariam de estar aqui e para mim é um privilégio muito grande o que está acontecendo. Estou vivendo um momento muito lindo.
11. O que espera da gravadora e o que a gravadora pode esperar de você?
Creio que eles têm para mim o melhor que eu também tenho para eles. Eu sei que tudo isso está na direção de Deus e quando Deus está no negócio, vai fluir o melhor que nós tivermos um para o outro.

12. O que podemos esperar do seu primeiro trabalho na nova casa?
Ai, meu Deus! Eu quero fazer o melhor que tenho... Eu tenho que chegar e abrir com um grande CD. O melhor de mim eu quero dar para o Senhor e para a Sony Music.


Um comentário:

  1. shirley carvalhaes é demais amelhor cantora gospel pode ter certeza

    ResponderExcluir

Comente, critique, elogie!
Sua opinião é importante para nós
Shalom Adonai



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...